sexta-feira, 25 de julho de 2008

Mais uma vez...

Nossa quanta ansiedade, nem sei como estou cabendo dentro de mim!!!

Não vejo a hora de entrar naquele ônibus rumo ao descobrimento.

Quem já teve essa experiência sabe o que estou dizendo, é muito estranho mas é real.

Um encontro entre o que sonhamos e o que podemos realizar, e que no final nos mostra que apenas o que não sonhamos é o que não podemos realizar.

Sim é possível! É possivel se entregar assim, de corpo e alma, se integrar com a necessidade e transpirar capacidade, todos podemos...como já dizia o poeta: "tudo vale a pena quando a alma não é pequena"

Para mim essas situações são o verdadeiro encontro com a nossa alma.

Quem esta fazendo isso pela primeira vez, antes de começar: respire!

Sinta seu corpo e se entregue a estrada, observe muuuito, principalmente aquilo que vc nunca observaria...não tenha vergonha de pedir ajuda e muito menos de ajudar.

Preste atenção nos detalhes, não só os detalhes da paisagem, mas principalmente nos detalhes da pessoas que o estão acompanhando...observe a felicidade nos olhos que suprem as necessidades dos corpos.

Realize-se com um simples gole de água, ou com o vento no rosto e principalmente com todos os sorrisos nos rostos.

Integre-se e entregue-se!!! Viva!

Aos que já fazem isso a mais tempo...quem sou eu para ensinar alguma coisa, afinal tudo o que sei são vocês que estão me ensiando. E o respeito é primeira lição.

Amigos, muito obrigada por terem mudado a minha vida!

Boa viagem a todos nós e parabéns a Bicicletada!!!


6 comentários:

Eduardo Marques Grigoletto disse...

Shooow, pena que desta vez não vou poder ir com vocês, mas vou ficar mandando energias positivas via satélite daqui mesmo!

Boa viagem pessoal! e nos vemos mais tarde na Bicicletada!!!

bobmacjack disse...

Não acredito em felicidade plena, sabe? Mas se você juntar vários momentos felizes um pertinho do outro você chega perto.

Acabei de passar um momento feliz ao ler seu texto. Parabéns e obrigado.

Márcio disse...

Falo aqui da sensação de pegar esse bonde Curitiba.
Toda viagem tem um significado oculto. Essa vontade de partir, de soltar as amarras, largar-se do cais da própria vida.
Fazer isso numa bicicleta é ainda mais, é aventura gigante, atravessar distâncias somente com a força das pernas, sentir-se poderoso e a mente em comunhão com o próprio corpo.
Da vida só estou levando essas lembranças, não quero lembrar de nada que pude ter, e sim do que fiz, onde fui, sentimentos que vivi, pessoas lindas que conheci pelo caminho, que por isso mesmo se fez belo.

Um grande beijo, Aninha querida !

pedaldriven disse...

Fico feliz por saber que há pessoas que conseguem expressar muito melhor o que sinto por fazer parte desse grupo do que eu mesmo consigo. Seu texto é inspirador e espero que muitas pessoas venham a fazer parte da Bicicletada por causa de palavras como essas.
Quanto a hoje, nem consigo pensar em como estou de tão corrido que está, mas só de imaginar que vou abandonar o mundo por algumas horas, deixar os problemas, responsabilidades e deveres para trás e ir ao desconhecido com esse pessoal, já fico com o sorriso na cara, mesmo não estando na minha bicicleta. Imagina quando tirarmos nossas magrelas do bagageiro do ônibus... um beijão!

PEDALANTE disse...

Acabo de ler e de separar as roupas ...
Parabéns para vc, ...é pique!!

Silvio Tambara disse...

"Não vejo a hora de entrar naquele ônibus rumo ao descobrimento." Bonito isso. "Minha" retribuição:

"Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu"