quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Minha alma...

Coisas simples como abrir os olhos todas as manhã quando acordamos nos mostra que a vida é cheia de alternativas.

Todos os dias quando me olho no espelho assim quando acordo, além de uma cara toda amassada e um cabelo pra lá de desarrumado, vejo minha alma! E essa alma clama, pede suplica: vida!

"Ela" quer viver a intensidade dos segundos e a cada segundo muda de opinião, tenho muitas alternativas todos os dias quando acordo, mas como normalmente estou muito sonada, afinal o cotidiano não me permite ter as horas de sono que eu realmente gostaria de ter, penso apenas em duas alternativa: "Bom Humor ou Mau Humor?!?!?"

Sempre escolho o primeiro, mas como disse anteriormente a minha alma vive a intensidade dos minutos e muda, pois tudo muda o tempo todo no mundo, e por que com a minha alma seria diferente?!

A primeira opção é sempre pelo belo e gracioso, pelo amor e pela compaixão, mas às vezes a vida nos prega peças, e essa peças não diferentes de um quebra-cabeça são muito difíceis de encaixar. Maldito livre arbítrio, ou bendito sei lá! Só sei que ele existe e em muitos dias faz minha cabeça soltar fumaça.

Existem um milhão de opções e outro milhão de oportunidades, como saber se a opção que escolhi me levara a oportunidade que desejo, é, não tem como saber, e isso que da graça a vida!

Imagine que monótono seria viver tudo igual, termos facilmente tudo o que desejamos, sem nenhuma conquista, só os fracos desejam isso, só os sem alma podem ver graça nisso.

Como alcançar o simples, a plenitude a sabedoria extrema...não sei te responder, na verdade ninguém sabe...o que é simples para mim pode ser uma confusão para você.

E hoje preciso assumir até o que é simples pra mim esta todo embolando. Estranho? Nem um pouco é a graça de vida!

2 comentários:

Fourier disse...

O que passou grande amiga?

Crise de existência?

Bjs

Silvio Tambara disse...

Só o que está morto não muda.

Valeu pela torcida.

Torço por você também.


Obs: porra, esse tal de fourier sempre chega aqui antes de mim. Assim não dá.