sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Quando as Coisas Mundam!!!

Ontem um pouco depois que sai do trabalho passei com o meu carro por um lombada e...

Puftpown!!! O carro foi pro chão e a roda travou e como estava em uma avenida relativamente movimentada de Barueri, por uns 5 segundo entrei em estado de pânico.

Nossa que ódio que dá a sensação de: “O que eu faço agora!?!?”

Como já passei dos 30 e sei que stress não leva a nada, respirei fundo, acendi o pisca alerta saí do carro, peguei o “triangulo” sinalizei todo o espaço e me posicionei no interior do carro para ligar pro seguro.

Existe uma vantagem enorme em ser mulher pelo menos uns 15 rapazes se ofereceram para ajudar, mas um deles era mecânico e foi o que realmente ajudou.

Meu carro teve que “dormir” na oficina, peguei o táxi oferecido pela seguradora e fui pra casa, cheguei +/- 19:45hs, 1h 45min depois do que normalmente chego, se considerar o trânsito e a complexidade da situação (esperar guincho, táxi, coisas assim) acredito que a questão tempo até que foi bem administrada.

E o trabalho na sexta...o que fazer?!?!?!?!!

Como estava chovendo e o Marcio não esta nem um pouco a fim de me acompanhar até Alphaville de bicicleta, resolvi que iria de “busão”.

Acordei no meu horário normal e fui para o ponto de ônibus, sei que a +/- 1 quadra de casa passa um ônibus para Alphaville, nunca peguei, não conheço os horários a única coisa que eu realmente sabia é que o ponto que eu deveria descer em Barueri fica muuuuuuuito longe da empresa onde trabalho e não tem um segundo ônibus que eu posso pegar.

Liguei para um colega de trabalho e pedi para que ele fosse me pegar no ponto, tudo ok e combinado entrei no busão.

45 minutos depois já estava em Alphaville, contra os normais 30 minutos que gasto diariamente para vir de carro, mas considerando, não dirigir e ser um ônibus intermunicipal, 45 minutos é um tempo excelente.

O ônibus que faz esse itinerário é um ônibus de viagem, aqueles bonitinhos que ninguém pode ficar em pé e tal, vindo pra cá a minha cabeça não parava de borbulhar: “Esse ônibus tem que deixar trazer bicicleta no bagageiro...deve ter gente que traz um monte de bagagem, é intermunicipal, quase uma viagem!”

Quase perguntei ao Motorista, mas assumo que senti vergonha, sou meio bicho do mato às vezes, anotei o telefone do “SAC” e assim que cheguei à empresa liguei.

“Bicicleta no ônibus, lógico que pode! Oxi, é por isso que tem bagageiro, pode trazer todo dia...você trabalha muito longe do ponto, vai morrer se for a pé todo dia!”

Bem, a 1° parte já estava resolvida, agora só era preciso convencer a chefe que seria melhor.

Como a empresa paga minha gasolina o aspecto economia também pode ser bem abordado, depois de uma série de desabafos quanto ao trânsito, cansaço essas coisas, minha chefe mora e trabalha no RJ, não tem noção do que é uma Marginal às 18hs, só vê pela TV, então precisei explicar com tempo gasto e exemplos de situações desagradáveis o porquê de não usar o carro para o trabalho, apesar de te-lo que usa-lo muito a serviço.

Conclusão:

30 minutos depois acordamos um teste de 1 mês, a partir de 2° feira farei o trajeto de ônibus x bicicleta, toda vez que tiver reuniões externas pré agendadas venho de carro, se ocorrer alguma urgência chamo um Táxi.

Vamos ver no que é que dá, né!?! Torçam por mim.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Raloim do Saci



As Bicicletadas do mês de outubro são sempre muito animadas. Na América do Norte, o Dia das Bruxas faz a Massa Crítica virar um verdadeiro carnaval, com milhares de participantes em várias cidades.

Em São Paulo, terra de modernistas e antropofágicos, a Bicicletada de Outubro mistura mitos e lendas brasileiros com monstros e personagens de outras terras.

Pererê, Trique, Saçurá, Mula Sem Cabeça, MBoitatá, Homem do Saco, Curupira, Iara, Lobisomem, Bicho Papão e Cuca compartilham o espaço com bruxas, caveiras, fantasmas e vampiros.

Participe da festa: venha fantasiado, traga seu veículo não-motorizado, seus panfletos e alegorias.

As atividades lúdico-educativas começam às 18h, na Praça do Saciclista (av. Paulista X Consolação). Às 20h, um pedal-festivo para aliviar o terror do trânsito.

www.bicicletada.org/saopaulo

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Pink, Tudo Pink!!!

E fui ao "Saia" denovo, já esta virando rotina!!!

E dessa vez levei a Chantal e a Paty...e os meninos também!







Fotos: Márcio Campos

Mas Fotos e Relatos:
Saia na Noite

Amigos que Pedalam Unidos:

Bebem...
E comem unidos!!!
Amo vocês!!!

terça-feira, 28 de outubro de 2008

O Dia Que Eu Fervi!!!

Não sei bem o que aconteceu comigo, a única definição que consigo encontrar é que eu realmente fervi!

Na noite anterior já estava morrendo de medo, na verdade nas duas semanas que antecederam o passeio eu já estava bem nervosa, mas tudo só foi aumentando conforme as horas iam passando.

Muito estranho tudo isso, nunca tive tanto medo em enfrentar um desafio como dessa vez, estava tensa, sabia que o percurso seria muito difícil e quando cheguei a São João da Boa Vista, vi que a temperatura também seria um grande problema.

Chegamos por volta das 21hs e às 22hs quando estávamos jantando mal conseguíamos suportar o calor...imagine então no dia seguinte onde enfrentaríamos boa parte do trajeto em pleno sol do meio dia.

Eu me cuidei, estava muito bem alimentada e a cada 20 minutos tomava água, assim evitava possíveis desidratações ou crises hipoglicêmicas.

Mas não suportei o calor, e literalmente fervi! Em meu ponto máximo, deixei o orgulho de lado e assumi a necessidade de precisar de um carro de apoio. Assumo que até agora ainda sinto vergonha, por não ter conseguido, mas era melhor deixar o orgulho de lado do que sofrer depois.

Se valeu a pena??? Lógico que valeu, sempre vale a pena! Por mais que pareça loucura, pedalar é pedalar não tem como explicar e quando o lugar é lindo então...tudo se explica


Noite anterior...um quarto de hotel, 3 pessoas + 3 bikes - Mal sabiamos o que nos esperava!

Tá bom, pela cara do Marcio da para perceber que até tinhamos uma noçaõ da dificuldade

E que comece a aventura...

Todos os participandes - reparem...só eu e paty de mulher
O pelotãoOlha esse verde!!!A secura da terraFinalmente uma sombra!O CumeA volta...

Fotos: Márcio Campos
Mais Fotos e Relatos:
Márcio Campos
Mantiqueirabikers

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Entrevista com os Candidatos Prefeitura da Cidade de São Paulo

Ontem, meus amigos André Pasqualine e Felipe Aragonez surpreenderam os candidatos a Prefeitura de São Paulo e fizeram diversos questionamentos relacionados à bicicleta, o resultado disso são duas entrevistas exclusivas e únicas sobre o tema.

Abaixo segue a transcrição na integra do texto publicado pelo André em seu Site (Assista aos videos dessas entrevistas aqui)

Divirtam-se, divulguem e principalmente não esqueçam de cobrá-los.

-----------------------------------------------------------------

Entrevista com os candidatos a Prefeitura da Cidade de São Paulo
24/10/2008

Corremos atrás dos dois candidatos que concorrem no segundo turno da prefeitura de São Paulo, para saber o que os ciclistas podem esperar deles nos próximos 4 anos. Entramos em contato com os comitês de campanha, logo no início do segundo turno, para tentar uma entrevista mais abrangente, com cerca de onze perguntas elaboradas por diversos ciclistas.

Infelizmente não conseguimos agendar nada oficialmente com ambos os candidatos e a solução foi sair a “caça”, só essa aventura já daria uma matéria. Soubemos que a Marta iria participar de uma ação no Campo Belo, ao meio dia, com operários da construção civil. Decidimos abordá-la na rua e deu certo. Infelizmente ela pediu para reduzirmos as perguntas, pois não poderia nos dar mais de 5 minutos.

Já o Kassab, sabíamos que ele daria uma entrevista na Radio Eldorado as 19h00. Pelas vias normais, não conseguimos um “encaixe” na agenda do prefeito. Mas meu amigo Felipe Aragonez (responsável pelas filmagens), Bike Repórter da Rádio Eldorado, conseguiu uma autorização para entrarmos na rádio para tentarmos abordá-lo ao final da entrevista (nem preciso agradecer a Rádio Eldorado pela força, pois sem ela só teríamos a entrevista com um candidato). O Prefeito não fez nenhuma restrição e pudemos fazer praticamente todas as perguntas.

Abaixo há os vídeos das duas entrevistas e logo depois as transcrições. Se você ainda não decidiu em quem votar, tente tirar suas conclusões. De qualquer maneira é muito bom saber o nível de conhecimento dos candidatos, sobre os problemas dos ciclistas da cidade de São Paulo. Além disso agora temos um documento para podermos cobrar do futuro prefeito (a), os compromissos assumidos durante a reportagem.

Entrevista com a ex-prefeita Marta do PT
Marta: Youtube, Multiply

Entrevista com o Prefeito Kassab
Kassab: Youtube, Multiply

Transcrição da entrevista da Marta

CicloBR: A Bicicleta é sempre esteve associada a Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA) e nunca a Secretaria de Transportes. A CET tem 4 (na verdade são só 3) funcionários para cuidar das Bicicletas, e 3400 (o correto são 4300) para cuidar de carro. Devido essa discrepância, a SVMA não consegue fazer uma ciclovia. Para fazer uma ciclovia ela tem que fazer parceria com o Metrô, Subprefeituras. Em outros países, que criaram sistemas cicloviários, eles criam órgãos independentes, com bastante gente qualificada para pensar num Plano cicloviário para a cidade. No seu governo você pode criar um órgão que cuide apenas da Bicicleta?

Marta: Não sei se posso fazer essa promessa, mas por no Transportes tenho certeza que eu posso. É um absurdo ela estar na SVMA, você tem toda a razão. Acho que podemos levar para o transporte e criar um pequeno núcleo, com gente que entende que possa pensar. O que eu acho inadmissível é criar qualquer nova via, sem pensar na ciclovia.

CicloBR: Tem por exemplo a nova Radial que já poderia ter sido feita com a Ciclovia. Eu sei que a senhora não sabia da lei, aliás nenhum prefeito cumpriu essa lei a risca...

Marta: Isso é algo que nós possamos rever.

CicloBR: Em algumas cidades fora do Brasil, o sentimento de segurança, em relação ao ciclista, não vem do fato de haver ciclovias, e sim do respeito por parte dos motoristas em relação aos ciclistas e pedestres. Você se compromete que daqui a 4 anos, o ciclista terá a certeza de que não irá receber nenhuma fechada, pois ele sabe que o motorista foi educado e que ele irá respeitar a faixa de pedestres, por exemplo?

Marta: Eu adorei a sua questão porque eu acredito que isso é muito factível aqui em São Paulo. Primeiro tem que partir de duas coisas. Educação para o ciclista, isso tem que ser feito. Do motorista para o ciclista, mas mais que tudo, se a gente conseguir fazer fluir o trânsito dentro de uma normalidade, com mais corredores de ônibus, e a partir disso diminuir, com um transporte público melhor, menos carros nas ruas, nos conseguimos ordenar, para o Motoboy, para o Ciclista, para todos. Eu concordo com você, que o ideal seria, o motorista do carro, ter a percepção do respeito que ele tem que ter. Isso é uma questão de fazer projetos educativos. Acho que podemos inclusive criar os pequenos empregos, jovens que podem trabalhar nessa área...

CicloBR: Sim, trabalhar como bike-frete por exemplo... Para tirar os motoqueiros das ruas e transformá-los em ciclistas, acho algo factível.

Marta: Tem que ver pois os motoqueiros andam quantos quilômetros?

CicloBR: Um ciclista que trabalha com entregas, chega a pedalar, em média, 80 kms por dia. A ultima pergunta é um desafio. A senhora aceita ir ao trabalho, uma vez por semana, ou por mês, utilizando outro meio de transporte que não o carro, não vale taxi nem helicóptero, usando o transporte público, a pé, outro meio de transporte que não o carro?

Marta: Uma vez por semana?

CicloBR: Uma vez por semana ou por mês...

Marta: Não, uma vez por semana nem pensar...

CicloBR: Como a senhora vai mostrar que o transporte público é bom se você não acredita nele? Se o transporte público for bom para você, será bom para a população.

Marta: Eu me comprometo a melhorar o transporte público, eu me comprometo, se eleita prefeita, daqui a 4 anos, você ter uma velocidade muito menor de fluidez no trânsito, ops, uma fluidez muito maior. Me comprometo a ter os corredores de ônibus, 228 km de corredor. Me comprometo a qualquer rodovia ou via, ter ciclovia. Isso eu posso me comprometer. O resto, eu andar no transporte público ou não tanto faz, não vejo diferença.

CicloBR: Faz sim, quer dizer que você acredita no transporte público.

Marta: Eu acredito no transporte público, eu fiz o bilhete único, já mostrei que eu acredito. Poderia falar umas 300 mentiras para você, “toda a semana eu vou andar no transporte público”. Isso não tem significado, o que eu estou falando é mais importante. Estou falando que vou consertar o trânsito, vou fazer 228 km de corredores, vou equipar a CET...

CicloBR: Vai colocar ciclistas para fazer fiscalização ao invés de moto? Já que é muito melhor para uma bicicleta na calçada do que uma pickup da CET.

Marta: Acho ótima essa idéia, esses compromissos que são de bom senso, eu posso me comprometer.

Transcrição da entrevista com o Kassab

CicloBR: A bicicleta sempre esteve na Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) e nunca na secretaria de transporte. A CET tem 3 funcionários especialistas em bicicleta e 4.300 especialistas em carro? O que você pode fazer para resolver isso, como colocar a bicicleta na secretaria de transportes, ou colocar ciclistas para trabalhar na CET ao invés de motos para criar uma cultura interna...

Kassab: Depois de muitos anos, nós temos na cidade de São Paulo, efetivamente uma política voltada para o ciclista. Nós inauguramos recentemente a ciclovia da radial leste, com recursos da prefeitura transferidos para o metrô, para que ele pudesse fazer com mais facilidade, porque é uma área vizinha ao metrô em toda a sua extensão. Fizemos a ciclovia de Parelheireiros, estamos em conjunto com o governo do estado fazendo o projeto da ciclovia das marginais. É evidente que na medida em que a gente avança numa política pública de criar novas ciclovias você precisa ter mais recursos humanos porque vai crescer a necessidade de voltar um pouco da administração pública para o processo de administração das ciclovias. Infelizmente essa é uma constatação da realidade vinda de governos anteriores que esta se mudando em nosso governo.

CicloBR: Bogotá, uma cidade exemplo, criou um departamento só para cuidar de bicicletas. Por exemplo, a SVMA tem muitas dificuldades de fazer projetos. A ciclovia da Radial teve que fazer parceria com o Metrô, as das Marginais será em parceria com o estado, a do Capão Redondo é uma parceria com as Subs Prefeitura, porque ela não tem autonomia para executar tudo isso. O que você acha da criação de uma Secretaria, não só da Bicicleta, mas do Deslocamento Não Motorizado na cidade, que englobaria também o pedestre?

Kassab: A idéia não é ruim, no sentido de ter uma estrutura, seja uma secretaria, seja dentro de uma secretaria, voltada ao desenvolvimento do ciclismo na cidade de São Paulo. Uma cidade do tamanho de São Paulo, é evidente que um assunto dessa relevância, tem que ter uma área voltada para isso.

CicloBR: Uma das grandes dificuldades do ciclista é fazer a transposição dos rios. Nenhuma ponte em São Paulo foi pensada para a travessia, não só do ciclista, como do pedestre. O senhor tem um plano para resolver esse problema em todas as pontes de São Paulo?

Kassab: Esse é o objetivo desse grupo de trabalho, criado pelo governo e prefeitura para criar as ciclovias das marginais. E as pontes são os maiores desafios que temos, que irão criar os acessos para as ciclovias.

CicloBR: A idéia é nesse projeto da ciclovia das marginais, resolver os problemas das pontes de São Paulo?

Kassab: Para viabilizar uma ciclovia nas marginais você precisa viabilizar o problema dos acessos a ela.

CicloBR: Existe uma lei que obriga os estabelecimentos com grande afluxo de pessoas e ter bicicletários, um dos grandes problemas do ciclista em São Paulo é chegar num supermercado estabelecimento comercial e não ter onde estacionar. Essa lei existe, mas não há nenhuma sanção? O senhor se compromete a regulamentar para que os próprios ciclistas possam cobrar a regulamentação dos estabelecimentos?

Kassab: Sim, nosso esforço é no sentido de gradualmente ir adaptando a cidade de São Paulo nesse processo de incentivo e fortalecimento, com a legislação. Todos sabem que isso aconteceu na nossa gestão e vamos continuar fazendo.

CicloBR: Mais algumas perguntas, tem a questão da integração da bicicleta com o transporte público...

Kassab: Isso já existe hoje, as estações do metrô com bicicletários...

CicloBR: Falta só implantar também nos terminais de ônibus...

Kassab: O importante que esta sendo implantado em parceria da prefeitura com o governo do estado.

CicloBR: Em muitas cidades fora do Brasil, o sentimento de segurança do ciclista não vem de ciclovias, vem do respeito do motorista em relação ao ciclista e aos pedestres. O senhor se compromete com uma campanha educativa para que o motorista passe a respeitar ciclistas e pedestres, ou mesmo, daqui 4 anos podemos ter a certeza que o motorista vai respeitar a faixa de pedestre, como manda a lei?

Kassab: Com certeza, é fundamental as campanhas educativas para que o cidadão que não é ciclista saiba respeitar o ciclista.

CicloBR: O senhor aceitaria ir para o trabalho uma vez por semana, ou por mês, de um meio de transporte que não seja carro nem helicóptero? Para mostrar a população que eu uso o transporte público porque eu acredito no transporte público.

Kassab: Eu não vou falar que posso assumir esse compromisso, mas posso te dizer que tenho feito mais que isso. Tenho rotineiramente usado o transporte publico até para avaliar o nível do serviço. Vou com a minha assessoria, saio cedo de casa, ando de Metrô, ando ônibus, entre os terminais, então eu nem precisaria assumir esse compromisso pois já faço.

CicloBR: O senhor vai continuar fazendo então?

Kassab: Vou continuar sim, sem compromisso que seja com uma média, até porque a minha média é maior que essa.

Mais:

SPTV 2° Edição


1° Bicicletada do ABC

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Eu Vejo o Mundo em Cor de Rosa!!!

Na terça feira eu e mais alguns amigos da bicicletada tivemos a honra de pedalar com as Meninas do "Saia na Noite".

Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!

Quero ir toda terça e vou heim!





terça-feira, 21 de outubro de 2008

Cicloficina sem Ciclocine

Estava eu casa em pleno sábado ouriçada para dar uma pedalada, enchendo o saco do Márcio de 5 em 5 minutos com a mesma frase:

- Vamos pedalar!

Até que finalmente ele resolve fazer minha vontade, pois percebe que se não fizer eu não vou parar hehehe

Nessa hora, mas saltitante do que o Bamby pego o celular e ligo pro meu amigo Haase:

- Vamos pedalar?

- Vamos. Encontro vocês no Ibirapuera e de lá vamos à casa do Valverdes

-Tá bj

E assim fomos nós...pedalar ehhhh

Até eu desligar meu computador na sexta-feira o ciclocine + cicloficina estavam cancelados, até então nem eu, nem o Marcio, nem o Haase sabíamos ao certo se ia rolar ou não.

Fomos à casa do Valverdes, acabamos com o pudim dele, cara louco né...chegam 3 ciclistas na casa dele na hora do almoço, sem almoçar e o cara coloca em cima da mesa um Pudim!!!! Acabou óbvio!

Quando chegamos lá descobrimos que o Igor no auge de sua fúria impôs a ocorrência da Cicloficina.

E ela aconteceu...sem ciclocine mas aconteceu, quem não foi perdeu!

Me vira de ponta cabeça
Me faz de gato e sapato
Me deixa de quatro no ato
Me enche de amor...
De amor...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Dia das Crianças!

Tinham poucas crianças, mas era claro no rosto de cada uma delas a felicidade de ter um espaço para brincar.

Um espaço que é delas...sempre foi, mas que foi isolado por meio de ruas e avenidas, transformado em um monte de concreto no meio de duas artérias pulsantes.



O Super Bebê Cuevas demonstrou toda sua habilidade na cadeirinha...esse não vai mesmo desgrudar da bike quando crescer.

E esse menininho então (me desculpem os pais, pois não sei quem são e nem o nome do bebê) subia no tico-tico e ninguém conseguia faze-lo parar...teve uma cena que eu observei, onde mãe (acho que era a mãe) ficava andando atrás dele enquanto ele dava voltas na praça...coitada quase ficou tonta!!!! O moleque não parava!!!!

E essa garotinha então, sem comentários....


Mas relatos e Fotos:
Chantal
Chantal Multiply

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Reunião da GGIMP - Gerência Geral de Inspeção da ANVISA - SEDE DO SINDUSFARMA

Como muitos sabem sou farmacêutica, atuo em Indústria Farmacêutica há pouco mais de 9 anos e nos últimos 4 anos sou Responsável Técnica por uma Indústria Farmacêutica de origem Suiça.


Além de gerenciar todas as atividades industriais da Unidade Fabril onde trabalho, faz parte de minha obrigações o contato direto com a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), seja ela no âmbito Nacional, Estadual ou mesmo Municipal.

No decorrer da semana passada recebi um convite para participar de uma Reunião Plenária junto a Gerência de Inspeção da ANVISA, com a finalidade de discutir novas legislações que entraram em vigor, essa reunião ocorreu na última sexta-feira na Sede do SINDUSFARMA - Sindicato das Indústrias Farmacêuticas de São Paulo na Vila Olímpia.

Por se tratar de um endereço muito próximo a minha residência (cerca de 5 km) e um local característico pelo transito caótico no final da tarde, resolvi ir de bike. A reunião estava marcada para as 14hs, como de costume, na parte da manhã fui trabalhar normalmente em Alphaville (de carro) saí por volta das 12:30hs passei em casa, deixei o carro, troquei de roupa e equipei meu alforje coma roupa e acessórios que eu iria utilizar na reunião.

O trajeto dentro do possível foi tranqüilo. Utilizei a Arthur de Azevedo e a Faria Lima para chegar a Rua Alvorada da minha casa, mantive a segunda faixa para não atrapalhar os ônibus e acredito que por causa do horário não tive maiores problemas.

Exceto um taxista que abriu a porta do carro na hora que eu estava passando...quase me acertou!!! E o cara não tem noção que eu podia destruir o carro dele, afinal estava de "clip", e como sou loirinha em momentos de necessidade de reflexo rápido, normalmente o Tico ou o Teco estão dormindo...mas beleza, ele me pediu desculpa!

Enfim, cheguei ao meu destino! O Sindicato dispões de dois estacionamentos para associados, e nesses estacionamentos, mediante ao carimbo do Sindicato os usuários podem usar gratuitamente os estacionamentos por quanto tempo quiserem...então, lá fui eu.

O primeiro (na Casa do Ator) estava fechado para reforma, então fui tentar o segundo (na Caetano Velasco), o qual inclusive sempre paro o meu carro, e pasmem, fui abordada com a seguinte frase:

- Você não pode para sua bicicleta aqui!

- Como não posso?! Vou ao Sindusfarma!

- Não, não pode a acabou!!!

- Nem se eu pagar por fora??

- Nem se o Papa pagar!!!

- Mas por quê???

- Por que não, oras!!!

- Então, você sabe onde eu posso parar a bike?!?!

- Se vira!!!

Put... da vida com a delicadeza da atendente, sim "da" era uma moça, sai do estacionamento e comecei a rodar pelo quarteirão perguntando para manobristas e afins onde poderia deixar a bike, quando do nada, surge um guardador de carro desses de rua mesmo e me aborda:

- Moça, se ta vendo aquele carrinho de cachorro quente ali?

- ahãm!!

- Então chega lá na mulher e fala com ela, com jeitinho...a casa dela é lá nos fundos...vai que ela deixa...

- oh valeu, heim...obrigada!

E lá fui eu...

- Oi moça tudo bem?!?!?! Será que a Senhora podia me ajudar???

- Fala bem...

- Sabe o que é?!?! Eu vou à Sindusfarma, tenho um reunião super importante e preciso guardar a bike...mas nenhum estacionamento quer aceitar a minha bicicleta...nem pagando...será que a senhora pode cuidar dela pra mim????

- Até que horas?

- Acho que até umas 17.30hs...

- Tá bom deixa aí...ô Filhooooo!!! Leva a moça lá em casa pra guardar a bicicleta!!!

E lá fui eu com o molequinho de +/- 5 anos que não fechava a boca...não sei se por que ele me achou muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito linda ou por que ele nunca tinha visto alguém de bicicleta naqueles lados...

Entrei na garagem e parei a bike encostada no muro...e comecei a desmontar meu alforje...comecei a soltar a sapatilha e tirei a camiseta (calma estava de top) e o molequinho lá...de boca aberta...coloquei a calça social por cima da bermuda, a camisa por cima do top, usei uma toalha para limpar o suor, reapliquei o desodorante, coloquei o salto alto, retoquei a maquiagem e olhei pro menininho e disse:

- Viu!!! Quem me vir agora vai achar que eu cheguei em carro importado, né...mas eu cheguei de bike!!! Hehehe

E ele com a boca mais aberta ainda só conseguiu fazer "sim" com a cabeça.

-----------------------------------

Na reunião, tudo ocorreu absolutamente bem...cheguei carregando meu alforje com o capacete pendurado, reparei que a maioria me olhava com estranheza...como se estivessem na dúvida que eu realmente teria ido de bike:

- Posso te fazer uma pergunta?!?!?! Você por acaso veio de bicicleta???

- Sim, vim!!!

- Nossa que de mais...adoro bicicleta...só não uso no trabalho por que tenho medo

- Toma meu cartão...me manda um e-mail e combinamos de andar juntas, você já ouviu falar da bicicletada????? e etc, etc, etc...

Não senti preconceito algum no Sindicato, apesar da estranheza de alguns associado, o sindicato em si e os seus funcionários me trataram como outra qualquer, uma funcionária até me ofereceu guardar o capacete e o alforje...mas lógico que eu disse não! Queria causar mesmo!!!!

-----------------------------------

Na volta...fui pegar minha bike e lá estava ela...intacta, linda e graciosa, a Rosinha até sorria!!!

- Moça muito obrigada, viu!!! Quanto te devo?!?!?

- Nada não filha...

- Como nada?!?!?1

- Nada!!!

- Então me vê uma água por favor (comprei águia pois não tomo refrigerante e cachorro quente só em casa!!!)

-----------------------------------

Concluindo, ressalto que não acredito que o problema tenha ocorrido por causa do Sindicato e sim pela política do estacionamento.


Estacionamento Inimigo do Ciclista

Hoje encaminharei um e-mail ao Sindicato relatando o fato ocorrido.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Dia das Crianças!!!!

arte: Ian Thomaz

No Domingo 12 de Outubro, às 15:00h vamos celebrar o Dia das Crianças pedalando e brincando.

Vamos nos encontrar na Praça do Ciclista!

Crianças de 0 a 125 anos, tragam seus pais, irmãos, sobrinhos, primos, vizinhos, e é claro, brinquedos: Peteca, Bola, Corda para pular, bicicletinhas e etc.
Pais, tragam seus filhos.

www.bicicletada.org/saopaulo