sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Quando as Coisas Mundam!!!

Ontem um pouco depois que sai do trabalho passei com o meu carro por um lombada e...

Puftpown!!! O carro foi pro chão e a roda travou e como estava em uma avenida relativamente movimentada de Barueri, por uns 5 segundo entrei em estado de pânico.

Nossa que ódio que dá a sensação de: “O que eu faço agora!?!?”

Como já passei dos 30 e sei que stress não leva a nada, respirei fundo, acendi o pisca alerta saí do carro, peguei o “triangulo” sinalizei todo o espaço e me posicionei no interior do carro para ligar pro seguro.

Existe uma vantagem enorme em ser mulher pelo menos uns 15 rapazes se ofereceram para ajudar, mas um deles era mecânico e foi o que realmente ajudou.

Meu carro teve que “dormir” na oficina, peguei o táxi oferecido pela seguradora e fui pra casa, cheguei +/- 19:45hs, 1h 45min depois do que normalmente chego, se considerar o trânsito e a complexidade da situação (esperar guincho, táxi, coisas assim) acredito que a questão tempo até que foi bem administrada.

E o trabalho na sexta...o que fazer?!?!?!?!!

Como estava chovendo e o Marcio não esta nem um pouco a fim de me acompanhar até Alphaville de bicicleta, resolvi que iria de “busão”.

Acordei no meu horário normal e fui para o ponto de ônibus, sei que a +/- 1 quadra de casa passa um ônibus para Alphaville, nunca peguei, não conheço os horários a única coisa que eu realmente sabia é que o ponto que eu deveria descer em Barueri fica muuuuuuuito longe da empresa onde trabalho e não tem um segundo ônibus que eu posso pegar.

Liguei para um colega de trabalho e pedi para que ele fosse me pegar no ponto, tudo ok e combinado entrei no busão.

45 minutos depois já estava em Alphaville, contra os normais 30 minutos que gasto diariamente para vir de carro, mas considerando, não dirigir e ser um ônibus intermunicipal, 45 minutos é um tempo excelente.

O ônibus que faz esse itinerário é um ônibus de viagem, aqueles bonitinhos que ninguém pode ficar em pé e tal, vindo pra cá a minha cabeça não parava de borbulhar: “Esse ônibus tem que deixar trazer bicicleta no bagageiro...deve ter gente que traz um monte de bagagem, é intermunicipal, quase uma viagem!”

Quase perguntei ao Motorista, mas assumo que senti vergonha, sou meio bicho do mato às vezes, anotei o telefone do “SAC” e assim que cheguei à empresa liguei.

“Bicicleta no ônibus, lógico que pode! Oxi, é por isso que tem bagageiro, pode trazer todo dia...você trabalha muito longe do ponto, vai morrer se for a pé todo dia!”

Bem, a 1° parte já estava resolvida, agora só era preciso convencer a chefe que seria melhor.

Como a empresa paga minha gasolina o aspecto economia também pode ser bem abordado, depois de uma série de desabafos quanto ao trânsito, cansaço essas coisas, minha chefe mora e trabalha no RJ, não tem noção do que é uma Marginal às 18hs, só vê pela TV, então precisei explicar com tempo gasto e exemplos de situações desagradáveis o porquê de não usar o carro para o trabalho, apesar de te-lo que usa-lo muito a serviço.

Conclusão:

30 minutos depois acordamos um teste de 1 mês, a partir de 2° feira farei o trajeto de ônibus x bicicleta, toda vez que tiver reuniões externas pré agendadas venho de carro, se ocorrer alguma urgência chamo um Táxi.

Vamos ver no que é que dá, né!?! Torçam por mim.

5 comentários:

Silvio Tambara disse...

Torcendo muito mesmo pra que dê certo.

f.ericsson disse...

É isso aí menina! Força, espero que a sua experiência de muito certo. Aqui em Lisboa a bicicleta vai na maioria dos transportes públicos. Até mesmo no autocarro (ônibus) já houveram linhas exclusivas em que se podia transportar a bicicleta. No comboio (trem) e nos barcos que fazem a travessia do Tejo a bicicleta vai a borla (de graça). Mas ainda estamos longe de aceitar a bicicleta como veículo. E "o" veículo.
Abraços
Fabio

Fabiano disse...

Que legal, Aninha!
Valeu tb por ter divulgado isso. Eis algo que eu mesmo não imaginava!
Boa sorte!

Gonças disse...

Boa...o mundo está mesmo a precisar destes pequenos/grandes passos para mudar!
Espero que dê certo e que mais gente siga o teu exemplo!
beijo

Márcio disse...

Ôpa, será que teremos mais uma ciclista coditiana e menos uma motorista nas ruas?

Eu dou maior força. Além de tudo pára de gastar tanto em manutenção de carro.