segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Reunião da GGIMP - Gerência Geral de Inspeção da ANVISA - SEDE DO SINDUSFARMA

Como muitos sabem sou farmacêutica, atuo em Indústria Farmacêutica há pouco mais de 9 anos e nos últimos 4 anos sou Responsável Técnica por uma Indústria Farmacêutica de origem Suiça.


Além de gerenciar todas as atividades industriais da Unidade Fabril onde trabalho, faz parte de minha obrigações o contato direto com a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), seja ela no âmbito Nacional, Estadual ou mesmo Municipal.

No decorrer da semana passada recebi um convite para participar de uma Reunião Plenária junto a Gerência de Inspeção da ANVISA, com a finalidade de discutir novas legislações que entraram em vigor, essa reunião ocorreu na última sexta-feira na Sede do SINDUSFARMA - Sindicato das Indústrias Farmacêuticas de São Paulo na Vila Olímpia.

Por se tratar de um endereço muito próximo a minha residência (cerca de 5 km) e um local característico pelo transito caótico no final da tarde, resolvi ir de bike. A reunião estava marcada para as 14hs, como de costume, na parte da manhã fui trabalhar normalmente em Alphaville (de carro) saí por volta das 12:30hs passei em casa, deixei o carro, troquei de roupa e equipei meu alforje coma roupa e acessórios que eu iria utilizar na reunião.

O trajeto dentro do possível foi tranqüilo. Utilizei a Arthur de Azevedo e a Faria Lima para chegar a Rua Alvorada da minha casa, mantive a segunda faixa para não atrapalhar os ônibus e acredito que por causa do horário não tive maiores problemas.

Exceto um taxista que abriu a porta do carro na hora que eu estava passando...quase me acertou!!! E o cara não tem noção que eu podia destruir o carro dele, afinal estava de "clip", e como sou loirinha em momentos de necessidade de reflexo rápido, normalmente o Tico ou o Teco estão dormindo...mas beleza, ele me pediu desculpa!

Enfim, cheguei ao meu destino! O Sindicato dispões de dois estacionamentos para associados, e nesses estacionamentos, mediante ao carimbo do Sindicato os usuários podem usar gratuitamente os estacionamentos por quanto tempo quiserem...então, lá fui eu.

O primeiro (na Casa do Ator) estava fechado para reforma, então fui tentar o segundo (na Caetano Velasco), o qual inclusive sempre paro o meu carro, e pasmem, fui abordada com a seguinte frase:

- Você não pode para sua bicicleta aqui!

- Como não posso?! Vou ao Sindusfarma!

- Não, não pode a acabou!!!

- Nem se eu pagar por fora??

- Nem se o Papa pagar!!!

- Mas por quê???

- Por que não, oras!!!

- Então, você sabe onde eu posso parar a bike?!?!

- Se vira!!!

Put... da vida com a delicadeza da atendente, sim "da" era uma moça, sai do estacionamento e comecei a rodar pelo quarteirão perguntando para manobristas e afins onde poderia deixar a bike, quando do nada, surge um guardador de carro desses de rua mesmo e me aborda:

- Moça, se ta vendo aquele carrinho de cachorro quente ali?

- ahãm!!

- Então chega lá na mulher e fala com ela, com jeitinho...a casa dela é lá nos fundos...vai que ela deixa...

- oh valeu, heim...obrigada!

E lá fui eu...

- Oi moça tudo bem?!?!?! Será que a Senhora podia me ajudar???

- Fala bem...

- Sabe o que é?!?! Eu vou à Sindusfarma, tenho um reunião super importante e preciso guardar a bike...mas nenhum estacionamento quer aceitar a minha bicicleta...nem pagando...será que a senhora pode cuidar dela pra mim????

- Até que horas?

- Acho que até umas 17.30hs...

- Tá bom deixa aí...ô Filhooooo!!! Leva a moça lá em casa pra guardar a bicicleta!!!

E lá fui eu com o molequinho de +/- 5 anos que não fechava a boca...não sei se por que ele me achou muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito linda ou por que ele nunca tinha visto alguém de bicicleta naqueles lados...

Entrei na garagem e parei a bike encostada no muro...e comecei a desmontar meu alforje...comecei a soltar a sapatilha e tirei a camiseta (calma estava de top) e o molequinho lá...de boca aberta...coloquei a calça social por cima da bermuda, a camisa por cima do top, usei uma toalha para limpar o suor, reapliquei o desodorante, coloquei o salto alto, retoquei a maquiagem e olhei pro menininho e disse:

- Viu!!! Quem me vir agora vai achar que eu cheguei em carro importado, né...mas eu cheguei de bike!!! Hehehe

E ele com a boca mais aberta ainda só conseguiu fazer "sim" com a cabeça.

-----------------------------------

Na reunião, tudo ocorreu absolutamente bem...cheguei carregando meu alforje com o capacete pendurado, reparei que a maioria me olhava com estranheza...como se estivessem na dúvida que eu realmente teria ido de bike:

- Posso te fazer uma pergunta?!?!?! Você por acaso veio de bicicleta???

- Sim, vim!!!

- Nossa que de mais...adoro bicicleta...só não uso no trabalho por que tenho medo

- Toma meu cartão...me manda um e-mail e combinamos de andar juntas, você já ouviu falar da bicicletada????? e etc, etc, etc...

Não senti preconceito algum no Sindicato, apesar da estranheza de alguns associado, o sindicato em si e os seus funcionários me trataram como outra qualquer, uma funcionária até me ofereceu guardar o capacete e o alforje...mas lógico que eu disse não! Queria causar mesmo!!!!

-----------------------------------

Na volta...fui pegar minha bike e lá estava ela...intacta, linda e graciosa, a Rosinha até sorria!!!

- Moça muito obrigada, viu!!! Quanto te devo?!?!?

- Nada não filha...

- Como nada?!?!?1

- Nada!!!

- Então me vê uma água por favor (comprei águia pois não tomo refrigerante e cachorro quente só em casa!!!)

-----------------------------------

Concluindo, ressalto que não acredito que o problema tenha ocorrido por causa do Sindicato e sim pela política do estacionamento.


Estacionamento Inimigo do Ciclista

Hoje encaminharei um e-mail ao Sindicato relatando o fato ocorrido.

6 comentários:

bobmacjack disse...

Adorei o relato. Amei, aliás, rs!

Ainda por cima colocou uma imagem na cabeça da criança que ela dificilmente vai esquecer. Parabéns.

Renato disse...

Gostei da simpatia e educação do atendente. Precisamos de mais gente assim ;-)

Que bela história!

Renato

Silvio Tambara disse...

Que legal. Mais vale um gesto do que mil palavras. Parabéns.

Márcio disse...

Quando preciso estacionar no centro é uma dificuldade também. Vou de estacionamento em estacionamento perguntando se posso deixar a bike travada ali. Nada, morrem de medo de eu arranhar o "patrimônio" de algum cliente, ou que eu queira que alguém "tome conta". Digo que vou colocar tranca e apenas quero tirar da vista, não deixar na rua, em qualquer poste.
Por isso sou obrigado a deixar muitas vezes no único estacionamento Estapar na região da República, a R$2,00 o período. Lá numa meia vaga espremida com um carro ainda tenho que agradecer...

Márcio Campos

Fourier disse...

Da-lhe Dra!

Dica: Na casa do ator para no bicicletário da Universidade Anhembi Morumbi. De graça.

Se fosse eu peitava a mulher do estacionamento e entrava. Mas tenho uma teoria. As mulheres competem, viu vc chegando e teve inveja. Se tivesse sido eu com minhas coxas a mostra ela ia deixar parar.

Legal vc ter ido na reunião! Parabeéns!

Fico imaginando a cena do garotinho babando por ti hahaha

Eduardo Marques Grigoletto disse...

Oi Aninha! Muito legal esse post. Ir de bike na Vl Olímpia é uma m.. por causa disso. Outro dia tive o mesmo problema na Rua das Olimpíadas, tinha uma reunião e o prédio tinha estacionamento mas os caras não queriam deixar eu estacionar a bike, só que aí liguei do celular para a empresa que estava me esperando dizendo que eu estava lá embaixo e que não seria possível a gente fazer a reunião pois o estacionamento do prédio deles não queria deixar eu estacionar a bike lá. Os caras desceram e "descascaram" com o povo do estacionamento e eles foram obrigados a aceitar a minha bike. Agora toda vez que vou lá paro no estacionamento, com cara feia e tudo...rsrsrsr