quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Acidente de Bike!

Como muitos amigos já sabem meus pais moram em Ubatuba no Litoral Norte de São Paulo, meu pai se mudou para lá há mais de 35 anos.

Meu pai é engenheiro civil e sempre desde que se formou trabalhou na área. Quando se mudou para Ubatuba começou a exercer a profissão construindo casas em sua grande maioria de veraneio.

Muitas pessoas que trabalham com meu pai já estão com ele ao mesmo tempo que ele mora lá e me viram nascer, crescer e ir embora.

Uma dessas pessoas é Seu Nelson, o encanador (ou bombeiro hidráulico como se diz em outros Estados).

Seu Nelson é uma daquelas figurinhas simplonas, simpáticas, baixinhas e gordinhas, daqueles que quase não conseguem te olhar nos olhos quando fala, mas por timidez e não por qualquer outro motivo maléfico.

Seu Nelson assim como 90% dos outros funcionários do meu pai (e dos moradores de Ubatuba) se locomove de bicicleta, uma verdadeira imagem cycle chic daqueles que pedalam de calça jeans e havaianas do mesmo modo que pedalariam com um terno.

Barra-forte com a caixa de ferramentas amarrada no bagageiro e um cano de PVC preso junto ao quadro...essa é a imagem que me recordo dele.

Essa semana minha mãe me ligou e me contou que Seu Nelson se acidentou de bike, ele estava andando de bicicleta em Ubatuba quando um outro ciclista foi ultrapassa-lo esbarrou e ele caiu.

Na queda ele acabou batendo a cabeça na guia e agora encontra-se em coma induzido no Hospital de Taubaté.

Sim! Ele estava sem capacete...mas também nunca saberemos se ele estivesse usando o mal seria menor.

Não quero fazer qualquer apologia ao uso de capacete enquanto se pedala, eu mesma não o uso quando apenas me locomovo por SP ou mesmo faço uma cicloviagem por algum caminho mais tranquilo.

Na verdade resolvi escrever este texto, primeiro para dizer que estou torcendo muito pela recuperação dele, e segundo achei importante demonstrar com um exemplo real que não apenas veículos maiores podem ocasionar graves acidentes.

Esse foi ocasionado por um igual! Um igual que talvez fosse imprudente, ou talvez tenha se distraído, ou quem sabe pelo Seu Nelson ter sido imprudente ou ter se distraído.

Conheço várias pessoas que já se chocaram com outros ciclistas e que tiveram quedas e que ainda bem não foram tão graves, e a maioria desses acidentes foram por imprudência de um dos lados, ou quem sabe de ambos, uma vez que quem provocou não estava respeitando o outro e esse último não estava atento que um acidente lhe poderia ocorrer.

É muito bom se locomover de bicicleta, principalmente quando vemos aquelas filas intermináveis de carros, mas é perigoso! É perigoso pois estamos muito expostos no caso de uma queda.

A maior parte dos acidentes de carros acontecem com homens de idade jovem, justamente por terem a convicção de que estão 100% certos, seguros e que nada de mal irá lhe ocorrer.

No trânsito tudo pode acontecer e por isso devemos sempre estar atentos!

O trânsito deve ser seguro e respeitado por todos que dele participam, seja você: pedestre, ciclista ou motorista.

Ao Seu Nelson desejo uma boa recuperação e que o desfeixo dessa história seja a que menos lhe causar sofrimento, a familia desejo paz e paciência.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Como se Comportar no Trânsito...

Hoje recebi um e-mail patético com um monte de regrinhas de como se comportar no trânsito e "ajudar" o trânsito em São Paulo.

Recebi de um remetente medianamente conhecido e por esse motivo resolvi ler.

1ª regra: Se você não for trabalhar não saia de casa, lembre-se que quem esta atrás de você está indo trabalhar.

2ª regra: Se você não tiver carro com câmbio automático, quando parar no farol deixe o carro engatado, o tempo que você gasta para engatar a marcha é precioso então respeite quem está atrás de você.

3ª regra: Ande sempre na velocidade máxima permitida na via, se você tem medo da velocidade volte para a auto-escola.

4ª regra: Em uma esquina não pare para fazer a curva, basta apenas reduzir um pouco a velocidade, Se um pedestre estiver atravessando pare, pois você não quer ganhar um processo, mas lembre-o que ele só pode atravessar na faixa e quando o farol de pedestre estiver verde pra ele.

5ª regra (a mais importante): a rua é dos carros! Se você não é carro saia da rua!

Por um instante pensei em responder dizendo um monte, mas acho que se divulgar isso terá mais resultado.

Então a você querido ignorante que me mandou esse e-mail:

Sinto muito! Sinto muito, por você não saber o que é conviver em paz com os outros que lhe cercam!

E quem se interessou em ler isso, lembre-se, só há uma regra para melhorar o trânsito de São Paulo ou de qualquer outra cidade:

RESPEITO!

Respeite quem está atrás ou à sua frente, respeite quem está aprendendo, respeite o Código Nacional de Trânsito, respeite os que são menores e mais frágeis que você.

A RUA É DE TODOS!